Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Pint of Science 2019
Início do conteúdo da página
Publicado: Segunda, 27 de Maio de 2019, 13h54 | Última atualização em Quarta, 05 de Junho de 2019, 16h36 | Acessos: 241

Poços de Caldas recebe evento mundial de divulgação científica realizado em parceria com o IFSULDEMINAS

Pelo segundo ano consecutivo, Poços de Caldas recebeu o Pint of Science, evento mundial de divulgação científica. Nas noites de 20 a 22 de maio, pesquisadores de Poços e externos estiveram em três bares da cidade para uma conversa descontraída sobre ciência e tecnologia. O bate-papo com os estudiosos ocorreu no New York Pub, na Bones Cervejaria e no Justo no Terraço. Durante os três dias, aproximadamente 1300 pessoas prestigiaram o evento, que contou com 18 palestras gratuitas que contemplavam várias áreas do conhecimento e diversos temas atuais. Entre os assuntos abordados, estiveram as radiações, a terapia quântica, o feminismo, o clima espacial, as vacinas, a medicina preventiva, os desastres ambientais, a interdisciplinaridade, os buracos negros, a educação inclusiva, a previsão do tempo, o laser e suas aplicações e a saúde mental. Além de ouvir as palestras, o público interagiu com os palestrantes, tirando suas dúvidas e emitindo suas opiniões.

Os professores do IFSULDEMINAS – Campus Poços de Caldas, Sérgio Pedini, Isabel Teixeira e Thiago Caproni palestraram no Pint of Science. Com o título “O Agro nem sempre é pop: o agrotóxico nosso de cada dia”, a palestra do professor Pedini abordou as alternativas possíveis para o não uso de agrotóxicos na produção de alimentos. O pós-doutor em gestão explicou que “a tecnificação das atividades no campo é um caminho sem volta. Mas é importante pararmos e refletirmos se todo esse avanço não compromete a própria existência do homem, dos demais seres vivos e dos recursos naturais”. Pedini apontou que é preciso estimular o consumo de produtos orgânicos e a aproximação de agricultores e consumidores. Mencionou ainda que comprar um produto é um ato político: “Nós que escolhemos se o produto que consumimos será ecologicamente correto ou não, socialmente responsável ou não”.

 MG 0357

Sérgio Pedini.

Na palestra “Don't Worry, (if) BEE happy: a importância das abelhas em nossas vidas”, a professora Isabel Teixeira falou sobre as características desses importantes insetos sociais e a preocupação atual da ciência ao perceber o risco de desaparecimento da diversidade de espécies. A doutora em entomologia afirmou que “as abelhas são seres incríveis pelas suas biologias intrigantes e, por serem as maiores polinizadoras do planeta, precisamos delas para termos muitos dos frutos que consumimos e, sem estes, não teríamos alimento suficiente”. A docente apontou que a intensa utilização de inseticidas nas lavouras e o desmatamento são as principais causas para o crescente desaparecimento das abelhas. Além de políticas públicas, Isabel salientou que medidas simples podem ser adotas pelas pessoas para a preservação desses insetos: “ajude a divulgar a importância das abelhas, tenha uma colmeia em casa, plante muitas flores e tente não usar pesticidas. Se as abelhas estiverem bem, a gente não vai precisar se preocupar com nada, porque elas são indicadores de que tudo em nosso planeta está bem”.

 MG 9329

Isabel Teixeira.

O diretor-geral e professor do Campus Poços de Caldas, Thiago Caproni, proferiu a palestra “E os robôs? Precisamos de um plano ...”, encerrando o Pint of Science no New York Pub. O doutor em Internet das Coisas (IoT) explanou sobre as atuais imposições de um mercado de trabalho cada vez mais influenciado por tecnologias, como as de realidade aumentada, impressão 3D e veículos autônomos. Thiago apontou os setores que mais poderão ser automatizados, entre eles, o de preparação de comidas, segurança, construção, limpeza, e direção de veículos, frisando que, no mundo, 60% das ocupações têm, pelo menos, um terço de suas atividades com potencial de automação. O docente traçou ainda o perfil do profissional do futuro diante dessa automação de serviços. Para Caproni, a criatividade é uma das qualidades que deverá ser estimulada: “muito dificilmente uma máquina vai conseguir desenvolver um processo criativo, porque a máquina se baseia em percentuais e probabilidades; ela não cria. Os profissionais do futuro, além da capacidade técnica, têm que ter uma habilidade humana muito grande, porque essa habilidade humana só nós temos. Habilidade humana de interagir, trabalhar em grupo, de criar”.

 MG 9532

Prof. Thiago Caproni.

 

Neste ano, o Pint of Science em Poços de Caldas contou com a organização e envolvimento da Universidade Federal de Alfenas, da PUC e do IFSULDEMINAS – Campus Poços de Caldas. Do Instituto Federal, fizeram parte da organização as professoras Jane Sanches e Luciana Nascimento e o professor Rafael Felipe Coelho, além de alunos do curso de Ciências Biológicas do Campus Poços, que atuaram como monitores.

“O evento foi ótimo. Cumpriu com o objetivo de levar os pesquisadores com palestras interessantes para os bares e levar a comunidade para assistir essas palestras. Neste ano, expandimos o evento para três bares e tivemos um público excelente. O mais legal é que o público interagiu bastante com os palestrantes. A gente teve muitas perguntas, logo após cada uma das palestras e, depois, na rodada final. Nossos alunos e servidores também se envolveram demais, foram assistir as palestras, participaram, fizeram perguntas. Isso é muito enriquecedor para o Campus para mostrarmos à comunidade os trabalhos que a gente faz aqui”, destacou a professora Jane.

Para o coordenador do Pint of Science de Poços de Caldas, professor Cássius Miquele de Melo, do Instituto de Ciência e Tecnologia da UNIFAL, o evento repetiu o sucesso de 2018. O docente adiantou ainda que a edição de 2020 já está confirmada, devendo ocorrer no final de maio. Sobre a parceria com o IFSULDEMINAS nos trabalhos de organização, salientou que ela é muito importante: “foi uma parceria fenomenal, mostrando que, de fato, esse tipo de evento e, principalmente, o setor público de educação só tem a ganhar quando se une forças e quando a gente trabalha em conjunto”.

Sucesso de crítica

Quem foi prestigiar o Pint of Science em Poços de Caldas só fez elogios. A estudante de Administração Mariana Rodrigues esteve presente em duas noites. “Eu acho esse evento diferenciado na cidade. Eu adorei porque são temas contemporâneos, que estão em pauta no dia a dia e com pessoas que são bem capacitadas”, disse. A advogada Juliene Fernandes prestigiou as duas edições. Para a moradora do bairro Monte Verde, o evento é muito interessante justamente por trazer para os bares debates importantes: “o bar é um lugar bem democrático. A gente vai encontrar gente de todo jeito aqui. Além disso, o evento traz, de uma forma que todo mundo entende, assuntos que seriam mais complexos. É muito interessante essa democratização da ciência”. Para o analista de estoque Paulo Corsetti, o Pint of Science é uma bela iniciativa: “ver essa quantidade de pessoas reunidas em um ambiente diferente, mas com o propósito comum de absorver um conhecimento é maravilhoso, porque é um movimento para frente. É muito gostoso ver essa aglomeração de pessoas com o propósito muito mais coletivo do que individual”. Comerciante e morador do Jardim Vitória, Edemilson Vilar assistiu pela primeira vez uma palestra do Pint of Science. Para ele, a iniciativa é interessante, pois “normalmente a gente não tem muito acesso a isso, a não ser que as pessoas procurem pela internet. É uma maneira de atrair as pessoas para discutirem esses temas realmente interessantes que não são muito discutidos normalmente”.

Sobre o evento

O Pint of Science surgiu em 2013, por meio de uma iniciativa de pesquisadores da Inglaterra que realizavam encontros sobre doenças neurodegenerativas. No Brasil, o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP de São Carlos promoveu o primeiro encontro em 2015. Desde então, o evento se expandiu e conquistou o público pela forma descontraída com a qual explica a dinâmica das pesquisas. Em 2016, sete municípios participaram da programação; em 2017, o festival esteve em 22 cidades e, em 2018, o número aumentou para 56 participantes. Neste ano, o Brasil ocupou o primeiro lugar, pois 85 cidades receberam o festival, enquanto a Espanha ficou em segundo lugar, com 72. Para saber mais, acesse: http://pintofscience.com.br/

Assista a trechos dos bate-papos!

1º Dia

2º Dia

3º Dia

Fotos: Ederson Godoy
ASCOM - Poços de Caldas
www.facebook.com/ifsuldeminaspocosdecaldas
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Fale conosco: 3697-4974
registrado em:
Fim do conteúdo da página